Notícia

EDUCAÇÃO

Secretaria de Estado da Educação de Alagoas
Segunda, 05 Fevereiro 2018 15:18
CONQUISTA

Apoio pedagógico de escolas estaduais favorece aprovação de estudantes do Enem

Estudantes das escolas Padre Aurélio Gois, de Junqueiro, e Pedro Joaquim de Jesus, de Teotônio Vilela, garantiram vagas na Ufal e Uneal

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Apoio pedagógico de escolas estaduais favorece aprovação de estudantes do Enem (Fotos: Valdir Rocha)
Texto de Ana Paula Lins

Muitas coincidências marcam as vidas de Leonardo dos Santos Oliveira e Maria Eugênia Cavalcante: eles moram na mesma rua, suas famílias são amigas, estudaram na Escola Estadual Padre Aurélio Gois, de Junqueiro, e foram aprovados em dois dos mais concorridos cursos da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), respectivamente Medicina e Odontologia.

colegas

Os dois jovens destacam a qualidade do ensino da escola estadual e o apoio que sempre receberam de seus professores. Concluinte do ano de 2014, Leonardo já havia sido aprovado nos cursos de Engenharia Civil, Odontologia, Farmácia e Enfermagem. Mas o sonho de cursar Medicina sempre esteve vivo e, esse ano, concretizou-se.  “A Escola Padre Aurélio Gois sempre foi um destaque e tive professores excelentes, a exemplo das professoras de redação. Quero que minha conquista seja um espelho para outros jovens da rede pública”, afirma Leonardo.

Já Maria Eugênia concluiu o ensino médio em 2017 e, com 940 pontos na redação e 694 na média geral, conseguiu entrar na sua segunda opção no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o curso de Odontologia. Ela aguarda as próximas chamadas do Sistema para ver se consegue vaga na sua primeira opção.  Coincidentemente, este é o segundo ano consecutivo que a escola têm uma aluna aprovada em Odontologia: em 2017, Islane Caroline foi o 1º lugar em Odontologia entre os cotistas.

“Aqui na escola fiz muitos simulados, aulões, os professores estavam sempre abordando questões do Enem em sala. Muitos assuntos da prova de Ciências da Natureza eu vi aqui na escola. Além disso, sempre nos impulsionavam, acreditavam em nosso potencial”, recorda.

Orgulho - Com um saldo parcial de 24 aprovados na Ufal, Universidade Estadual de Alagoas (Uneal) e faculdades particulares, a Escola Padre Aurélio Gois promoveu aulas especiais de redação, aulões e simulados contextualizados para o exame durante o ano de 2017. “Buscamos sempre ofertar ao nosso aluno um aprendizado de qualidade e que estimule seu senso crítico. Nossa estimativa é que essa lista de aprovados cresça ainda mais”, aposta o diretor-geral José Edvaldo e Silva.

Os pais de Leonardo e Maria Eugênia transbordam alegria. “Leonardo é um presente de Deus em minha vida. Coincidentemente, sua aprovação foi anunciada no mesmo dia de seu aniversário”, conta Eva Elias, mãe de Leonardo. “Eugênia é uma menina de comportamento exemplar e sempre foi estudiosa. Quando era pequena, não era raro encontrá-la de pé às 5h da manhã estudando”, relatam José Edmilson e Mônica Emília Santos, pais de Eugênia.

Apoio e acompanhamento – Com um saldo de 30 alunos aprovados na Ufal, Uneal e faculdades particulares, a Escola Estadual Pedro Joaquim de Jesus, de Teotônio Vilela, já começa a colher os primeiros frutos do Lab Enem, preparatório para o exame que, ano passado, ajudou mais de 100 jovens a ingressarem no ensino superior.

Com um número maior de alunos em relação a 2017 – 80 no total – o Lab teve, dentre outras novidades, a incrementação de um grupo de estudos de matemática e plantões de redação com atendimento individualizado para os alunos. “Também buscamos trabalhar o emocional de nossos estudantes, pois percebíamos que o nervosismo atrapalhava muito na hora da prova. Por isso, fizemos palestras motivacionais com psicólogos e relaxamento com fisioterapeutas”, relata a coordenadora Anna Carolina Vasco.

Um dos alunos que se beneficiou deste apoio foi Guilherme Augusto Nunes, aprovado em Meteorologia na Ufal. “Na hora da prova, sempre ficava nervoso, suava muito. Com o apoio da escola, consegui fazer a prova tranquilamente”, diz.

g

O Lab Enem ainda propiciou que os alunos também tivessem um bom desempenho na redação do Enem. “Graças ao Lab, dobrei minha pontuação na redação de um ano para o outro. Além disso, eles acertaram o tema da redação do Enem”, comemora Ana Lívia Pimentel, aprovada em Letras na Uneal.

ana

Descoberta da vocação – A diretora Fátima Pimentel explica que, este ano, o Lab Enem abriu as portas não só para os alunos regularmente matriculados, mas para ex-alunos e estudantes de outras instituições. “Temos esse cuidado para que os alunos encontrem sua vocação, não façam um curso só por fazer. Ficamos realizados quando eles encontram sua plenitude. Por isso, não poderia deixar de agradecer à Seduc, que nos disponibilizou profissionais de física, química, biologia, matemática e língua portuguesa, como também aos voluntários do projeto, muitos deles ex-alunos nossos”, declara Fátima.

Jaqueline dos Santos, Luís Henrique da Silva e Carla Milene Ferreira são três exemplos de estudantes que aproveitaram ao máximo as oportunidades do Lab Enem. Os dois primeiros conquistaram os primeiros lugares de seus cursos como cotistas na Uneal e a terceira mudou sua forma de pensar.

“Terminei em 2010 e, desde então estava parada. Meu esposo, que cursa a Educação de Jovens e Adultos aqui na escola, me falou do Lab Enem e, quando soube que ex-alunos poderiam participar, não tive dúvida e me inscrevi. Estou muito feliz e agora não vou parar mais de estudar”, promete Jaqueline, aprovada em Letras- Português na Uneal.

Jaqueline

Já Luiz Henrique, que cursou os dois primeiros anos do ensino médio no Mato Grosso e, quando retornou a Teotônio Vilela, teve no Lab Enem um espaço para descobrir sua vocação. “Aqui, descobri o que queria fazer. Além disso, aprendemos de uma forma diferenciada e interativa”, destaca Luís, aprovado em Letras-Espanhol na Uneal.

luis

Outra aprovada em Letras pela Uneal, Carla Milene comemora não só o ingresso em uma instituição de ensino superior, mas uma transformação em sua vida. “No início do ensino médio, confesso que não pensava em fazer universidade. Mas, quando entrei no Lab Enem e vi o esforço de meus professores, percebi que precisava mudar de postura. O projeto foi uma benção em minha vida”, resume a garota.

Carla