Notícia

EDUCAÇÃO

Secretaria de Estado da Educação de Alagoas
Segunda, 03 Junho 2019 16:33
OLIMPÍADA DE MATEMÁTICA

Escolas estaduais têm até esta terça-feira (4) para envio de cartões-resposta da primeira fase

Procedimento pode ser feito via aplicativo da OBMEP e vai definir os classificados para as provas da próxima etapa, em setembro

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Escolas estaduais têm até esta terça-feira (4) para envio de cartões-resposta da primeira fase (Fotos: José Demétrio e Lourany Rodrigues)
Texto de Ana Paula Lins e Manuella Nobre

As escolas alagoanas que participaram da primeira fase da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) têm até esta terça-feira (4) para o envio dos cartões-resposta dos alunos classificados para a segunda fase da Olimpíada. A medida é necessária para que se tenha o quantitativo dos estudantes que participarão das provas da segunda fase, em setembro, e pode ser efetuada por meio do aplicativo da OBMEP 2019, disponível para download nas plataformas Android e IOS.

“Após a correção das provas, as escolas devem selecionar aproximadamente 5% dos seus alunos com melhor desempenho na primeira fase, enviar relatório e os cartões-resposta. Esse procedimento é essencial para garantir a participação na segunda fase”, orienta o coordenador da OBMEP em Alagoas, Professor Adelailson Peixoto, do Instituto de Matemática da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Em Alagoas, 350 mil estudantes de 850 escolas públicas e particulares participaram da primeira fase, que teve adesão de 100% de adesão das unidades da rede estadual de ensino. “A OBMEP é uma ação fantástica, pois mobiliza as escolas e tem sido um catalisador de atividades voltadas ao ensino de matemática em nossa rede. Entendemos como um evento de extrema importância, pois não só revela talentos, mas mexe com a rotina da escola, fomentando a aprendizagem da disciplina”, avalia Ricardo Lisboa, superintendente de Políticas Educacionais da Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

Portas para o futuro - A Escola Estadual Professor José da Silveira Camerino, no Cepa, teve mais de mil alunos do ensino fundamental e médio participando da prova. A diretora-adjunta da instituição, Márcia Moura, destaca a importância da competição. “Fizemos um trabalho prévio para a prova e, além das atividades regulares, oferecemos oficinas focadas nestes conteúdos. Sempre participamos e, ano passado, conseguimos duas Menções Honrosas”, pontuou Márcia.

Na Escola Estadual Maria José Loureiro, também no Cepa, quantitativo similar se submeteu à avaliação. Para a diretora-adjunta, Andréa Gomes, a OBMEP traz oportunidades de enriquecimento da vida escolar e abre portas para um melhor futuro profissional. “A OBMEP favorece a boa formação acadêmica, pois os alunos medalhistas podem concorrer a bolsas de iniciação científica que fortalecem sua formação acadêmica e futuro no mercado de trabalho”, declarou.

 Andréa Gomes diretora da Escola Maria José Loureiro diz que porva abre portas foto Lourany Rodrigues

Expectativas – Professores e alunos estão otimistas em relação à primeira fase da Olimpíada, cujo resultado deve ser divulgado no começo de julho. É o caso do professor Elgídio Silva, que leciona matemática na Escola Estadual Moreira e Silva. “Tivemos 2.250 alunos fazendo a prova da primeira fase. Em edições passadas, já conquistamos medalha de bronze. Nossa meta é chegar ao ouro”, conta o professor.

 Talysson diz que prova ajuda a treinar para o Enem foto Lourany Rodrigues

Seu aluno Talysson Miguel, estudante da 3ª série do médio, gostou da prova e diz que a mesma também funciona como um treino para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). “Além de praticarmos os conhecimentos em matemática, temos a chance de cronometrarmos o tempo, algo que será importante para o Enem”, diz o estudante.

 Julia da Silva também avaliou positivamente a Prova OBMEP Camerino Foto José Demétrio 18

Estudante do 9º ano do ensino fundamental da Escola Estadual José da Silveira Camerino, Júlia da Silva tem opinião similar. “A OBMEP ajuda avaliar nosso nível e o desempenho também na escola”, resume a garota.