Notícia

EDUCAÇÃO

Secretaria de Estado da Educação de Alagoas
Terça, 30 Novembro 2021 12:47
RECONHECIMENTO

Estudantes da rede estadual recebem medalhas da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP)

Durante a cerimônia, medalhistas de escolas da capital destacam a importância da escola e dos professores nas respectivas conquistas.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Em Alagoas, a OBMEP é coordenada pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e tem como parceiros a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), secretarias municipais de Educação, Instituto Federal de Alagoas (Ifal) e escolas particulares. Em Alagoas, a OBMEP é coordenada pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e tem como parceiros a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), secretarias municipais de Educação, Instituto Federal de Alagoas (Ifal) e escolas particulares. Thiago Ataíde
Texto de Manuella Nobre e Ana Paula Lins

Reveladora de grandes talentos, a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) premiou, nesta segunda-feira (29), no auditório do Ifal Maceió, os 29 medalhistas da edição 2019 que  são da capital - dentre os quais, dez alunos da rede estadual.  A cerimônia de premiação, que deveria ter acontecido no segundo semestre de 2020, não pôde ser realizada em virtude das limitações da pandemia.

Pela primeira vez, dois alunos de escolas estaduais conquistaram medalhas de ouro em uma mesma edição – até então, a rede estadual só havia registrado um ouro em 2008 e outro em 2016. A conquista foi dos estudantes João Victor Silva dos Santos, pela Escola Estadual Padre Cabral e Jeann da Rocha Silva, pela Escola Estadual Margarez Lacet, ambos de Maceió. Nesta mesma edição, o estado também contabilizou o seu maior número de medalhistas do sexo feminino - 26 ao todo, sendo 9 da rede estadual. É o melhor resultado desde 2016.

Durante a cerimônia, que contou com a presença do coordenador estadual da (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), Adelailson Peixoto, e do Coordenador da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), Krerley Oliveira, representando a UFAL (Universidade Federal de Alagoas), dos gerentes regionais da 1ª e 13ª Gerências Regionais de Educação,  Sandra Vitorino e Cássio Costa, neste ato representando a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), os medalhistas da rede estadual da capital reconheceram a importância das Olimpíadas e de toda preparação que a envolve, desde a escola, dos professores e da família para a conquista.

João Victor medalhista de ouro pela Padre Cabral foto thiagoataide 2

“As olimpíadas científicas proporcionam muitas coisas, desde interação com outros alunos, amizade, conhecimento e as medalhas. A escola sempre apoiou e incentivou as olimpíadas, tanto que esse ano ela fez a Canguru, a OBA (Astronomia), muito importante essa participação da escola. A escola é ótima, proporciona e incentiva nossa participação. E ela se torna mais atraente ao participar das olimpíadas, porque nos desafia, estimula nosso raciocínio e nos melhora enquanto alunos”, avalia João Victor, que também foi bronze na edição anterior. Ele ainda foi bronze na OBM ano passado. Este ano, enquanto estudante do 9º ano, além de garantir participação na OBMEP novamente, já garantiu ouro em duas outras olimpíadas.

“Eu gosto de matemática há um bom tempo. Eu já participei de algumas edições da OBMEP. Já ganhei menção honrosa no 7º ano, e estava caminhando um pouco mais e ganhei bronze no 8º ano. Entrei no PIC e com a ajuda dele eu consegui um bom aprendizado que me levou ao ouro em 2019. Eu vejo que esse estudo pela matemática abre portas para um futuro grandioso, porque tudo que a gente vê usa matemática, mesmo de uma forma mínima, e ele pode ser lúdico e inspirador, que além de ajudar a si, ajuda os outros também. E a importância da escola em incentivar este tipo de aprendizado é uma forma de mostrar para eles que as coisas que vemos e usamos deriva deste estudo. Então é sempre bom ter o apoio da escola, dos professores, bem como da família”, destaca Jean.

Jeann medalhista de ouro pelo margarez lacet 1

Para o professor de matemática e atual gestor adjunto da Padre Cabral, Erisvaldo Pedrosa, a educação pública vive um novo momento, que deve ser cada vez mais incentivado, acreditando e apoiando ações como esta nas escolas.

“Hoje é um momento de congratulação, de reconhecer os talentos. E é importante estimularmos ainda mais esses talentos alagoanos, visto que muitos deles acabam sendo recrutados por grandes centros como Ceará e São Paulo. Precisamos de uma política que ancore esses alunos mais próximos de nós. Para a Escola Padre Cabral, as olimpíadas são e sempre serão um norte e vamos continuar incentivando”, declara Erisvaldo. 

O evento

Promovida pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), a OBMEP visa estimular o estudo da matemática e identificar talentos da área entre estudantes do 6º ano do ensino fundamental até a 3ª série do ensino médio das redes pública e privada brasileiras. A olimpíada conta com o apoio dos ministérios da Educação, Ciência e Tecnologia e Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

Em Alagoas, a OBMEP é coordenada pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e tem como parceiros a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), secretarias municipais de Educação, Instituto Federal de Alagoas (Ifal) e escolas particulares.

Alagoas

Trezentos e cinquenta mil estudantes de 850 escolas públicas e particulares participaram da olimpíada em 2019, que teve adesão de 100% de adesão das unidades da rede estadual de ensino.

Ao todo, Alagoas teve 698 premiações na OBMEP 2019 – 89 medalhas e 609 Menções Honrosas. Destas 89 medalhas, 81 são da rede pública e 8 da particular – das quais, 78 bronzes, 7 pratas e 4 ouros. A rede estadual alagoana somou 27 medalhas na Olimpíada, sendo dois ouros, uma prata e 24 bronzes.

Premiação de medalhistas da obmep de maceio no ifal foto thiago atade 2

Premiados

Confira abaixo a lista dos medalhistas premiados pela rede estadual de ensino. Na ocasião, as escolas estaduais Padre Cabral e Educador Paulo Jorge, ambas de Maceió, também receberam kits com material didático.

Ouro - João Victor Silva dos Santos (Escola Estadual Padre Cabral) e Jeann da Rocha Silva (Escola Estadual Margarez Lacet);

Bronze - Amon Chalegre Gomes Vanderlei (Escola Estadual D. Pedro II); Karen Soares de Souza(Escola Estadual Professora Rosalva Pereira Viana); Carlos Eduardo da Silva Aguiar (Escola Estadual Professora Maria Lúcia Lins de Freitas, de Maceió); Gabriela Mendes Teles da Silva (Escola Estadual Manoel de Araújo Dória); Artur dos Anjos Santos Rodrigues (Colégio Tiradentes- Unidade Maceió); Danilo Rodrigues de Azevedo (Escola Estadual Rosalvo Lobo); Rayssa Thyelle da Silva Leite(Escola Estadual Fernandes Lima, de Maceió);  Cindhy Glauciele de Lima Rodrigues(Escola Estadual Professor José da Silveira Camerino).